IDEB 6,0 é a meta da educação brasileira para 2021

Secretaria de educação do Paraná traça estratégias para melhorias no índice de desenvolvimento da educação básica

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira criou o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB), com a finalidade de  informar a qualidade da aprendizagem dos estudantes do Brasil e também buscar soluções e melhorias para o ensino. 
Para calcular o IDEB é utilizada a taxa de aprovação e as notas obtidas nos exames aplicados pelo INEP. A Prova Brasil e o Sistema de Avaliação da Educação Básica (SAEB) são aplicados a cada dois anos. 
Em 2005 o índice registrado foi de 3,8 na primeira fase do Ensino Fundamental. A meta a ser atingida em 2021 é de 6,0. Com esse índice o Brasil estará entre os países com melhores desempenhos educacionais.  Para se atingir a aprendizagem e aprovação não se pode levar em conta o ambiente escolar de forma isolada. 
Diversos fatores contribuem para o crescimento e também o fracasso dos estudantes. A ausência de políticas públicas pode ser considerada um dos principais fatores que dificultam a aprendizagem e o progresso na educação. Para que a aprendizagem aconteça, estudantes e professores precisam estar motivados. Fatores como falta de apoio familiar, falta de perspectivas levam  ao abandono escolar.  

Fatores externos ao ambiente escolar afetam rendimento dos estudantes 
(Créditos: Fátima Rocha)
A falta de valorização profissional também contribui para um trabalho de baixa qualidade. 
Na opinião de Samir Aiache, diretor do Colégio Estadual Marumbi, as escolas que ofertam ensino noturno contam com mais um agravante que dificulta a aprendizagem e permanência do aluno na escola. 
A grande maioria é formada por estudantes trabalhadores que muitas vezes faltam às aulas por estarem trabalhando até em outros municípios, ou se sentem desmotivados por conta do cansaço.  “Quem tem ensino noturno é mais difícil aumentar o IDEB”, afirma Samir.
Outra questão preocupante no ensino noturno é questão da violência e uso de drogas que levam muitos alunos a mudanças e por fim, ao abandono escolar.

Diretor Samir Aiache afirma que ensino noturno apresenta maior índice de evasão
(Créditos: Fátima Rocha)

Qual o caminho para o crescimento do IDEB?



A Secretaria de Educação do Paraná está desenvolvendo nesse ano, programas e projetos com a intenção que melhorar a aprendizagem e alcançar maiores índices no IDEB. 
 Foi iniciado em 2019 o trabalho de tutoria nas escolas com baixo índice de IDEB.  No Núcleo de Educação de Apucarana, 35 escolas estão recebendo esse acompanhamento.



O professor Luis Antonio Burim é responsável pela tutoria em sete dessas escolas. “A palavra chave desse acompanhamento é aprendizagem”, afirma o professor. Além do trabalho de tutoria a secretaria está realizando a Prova Paraná para diagnosticar o nível de conhecimento. A frequência dos alunos também é monitorada. 
O Programa Presente na Escola gera uma planilha com o percentual de frequência, diariamente. O objetivo do programa é combater a evasão escolar. 
Segundo Burim é importante que os professores mantenham a chamada atualizada porque o programa está vinculado ao registro de classe online (RCO).

Acompanhe a fala do professor Luís Antonio Burim




Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem